Nossa História

"El caballo criollo, lo sabe Dios, es buen caballo al segundo dia, sin que haya probado alimento ni bebido nada el primero, y si no lo sabe Dios, lo sabe el diablo, pues es muy viejo."

Roberto B. Cunninghame Graham, 1890

 
 

O INÍCIO

Em 1969 a Estância dos Jacarandás inicia sua criação de Cavalos Crioulos, com a produção de Narvik Pampeiro - RP 354 - SBB 12.697, rosilho tostado, um filho de ZINGARO, importado de La Invernada - Uruguai.

Narvik Pampeiro        
 

As mães - éguas Grajaú - filhas de Abejorro, cavalo de criação de Alberto Gallinal, do legendário estabelecimento oriental San Pedro de Timote (Uruguai). Éguas de muito bom temperamento, estrutura e de excepcionais qualidades campeiras e vaqueiras, tendo como mães, crioulas do Haras Coral, de Severino Collares (Bagé).

Seis éguas iniciais        
 

Das seis éguas, destacaram-se a gateada 28 e a baia 32, por suas qualidades de resistência, bondade e andaduras.

Grajaú F 28 - Gateada   Grajaú F 32 - Baia    
 

Na reprodução, como mães, confirmaram suas qualidades, apresentando alta prepotência reprodutiva. Formaram os pilares da criação Jacarandá, com muita longevidade. Erva Mate, nascida em 1.973 ( nessa época ainda não usávamos o afixo Jacarandá ), uma filha da gateada Grajaú F-28, morreu em agosto de 2002, com 29 anos.

Narvik Pampeiro reforçou a funcionalidade das éguas, acrescentando o sangue do mouro da Estância Invernada (Uruguai): ZINGARO - filho de Castaño.

 

 

INCORPORADO SANGUE

Nos produtos originados desse primeiro cruzamento, a partir de 1975 foram utilizados dois filhos de Clavel Guasuncho:

Guasuncho Guampa
Gr. Camp. de Palermo de 1951
Reg. Mérito Argentino Nº 105.
  Clavel Guasuncho
Gr.Camp. Palermo de 1952
  Negro Lindo de Nazareth
 

Da criação de Antonio e Telmo Martins Bastos - Uruguaiana (RS), Cearense de Nazareth e posteriormente Negro Lindo de Nazareth, os filhos de Clavel Guasuncho, colaboraram principalmente com nobreza de linhas, expressão racial e estrutura. Ambos morreram com idade avançada, em regime total de campo, sendo que Negro Lindo foi até os 30 anos, deixando uma égua prenha. Dessa prenhez nasceu Jacarandá Saudade.

 
 

Em 1983, é adquirido em parceria, o chileno Sendero Castaña de Santa Edwiges:
Sendero agregou expressiva funcionalidade, excelentes aprumos e angulações, adornos e um temperamento inigualável.

Sendero Kalifa - Reg. Mérito 21
                        X
Puchuncavi Castaña - Reg. Mér. 24

Essa lendária mãe produziu, entre outros:

2 Freio de Ouro: Hospedeiro de S. Edwiges e Reservada de S. Edwiges
1 Freio de Prata: Nuvem de S. Edwiges

1 Freio de Bronze: SJ Manjerona

Sendero        
 

 

AGREGANDO VALOR GENÉTICO

A criação Jacarandá continuamente procura incorporar genética melhoradora e avançada da Raça Crioula.
 Para isto, além dos pais utilizados na cabanha, sempre buscou utilizar linhas de sangue numa seleção integral, proporcionando a evolução zootécnica necessária na produção de um cavalo diferenciado, que atenda às necessidades impostas à raça no momento.

Assim sendo, em 1.984 produz Jacarandá Peleador, filho de Itaí Tupambaé em Jacarandá Jandaia. Garanhão ainda em uso na cabanha, com muito bons produtos. Uma genética de 25 anos, que ainda é extremamente atualizada, uma vez que gera  animais com perfeito alinhamento ao tipo racial e funcional da Raça Crioula na atualidade.
Como resultado, Peleador se tornou além de bom pai, um grande AVÔ MATERNO !!

Itaí Tupambaé
1° Freio de Ouro - 1982
Registro de Mérito n° 19
  Jacarandá Peleador
aos 22 anos (2006)
   
 

Jacarandá Peleador produz animais com muita estrutura e porte mediano, bom temperamento, explosão e energia nos movimentos, qualidades que herdou de seu pai, Itaí Tupambaé e que hoje transmite a seus filhos.
Apresenta prepotência para transmitir excelentes linha de cima, aprumos, descida de perna e pescoço leve com uma boa inserção de cabeça.
Suas crias não são precoces, completando-se aos 5 ou 6 anos, como é o esperado na Raça Crioula.
A linhagem de Peleador vem aparecendo destacada em seus produtos mais recentes como Jacarandá Faustina , Jacarandá Felipa, Jacarandá Hortelã e Jacarandá Primitiva.

Jacarandá Faustina   Jacarandá Felipa   Jacarandá Hortelã
 
    Jacarandá Primitiva    
 

Em 1986 foi produzido Jacarandá Reponte - RP 177, um filho de Charque Compadrón em Jacarandá Jamaica (posteriormente cedida à Cabanha Santa Angélica-Herval do Sul).

Reponte após sagrar-se Campeão em categorias Incentivo e Estímulo nas Expo. Uruguaiana e Jaguarão na primavera de 1.988, foi Grande Campeão Nacional da Raça Crioula em 1990 em Curitiba (PR), numa mostra julgada pelo Dr. Antonio Martins Bastos Filho:

   
 
       
 

 

EXPORTAÇÃO

No ano de 2.001 foi exportado o potranco Jacarandá Inca para a República Oriental do Uruguai.

       
 
Jacarandá Inca        Genealogia
 
 

ALÉM DO RIO GRANDE DO SUL

Durante a década de 80 e parte de 90, o criatório Jacarandá e mais algumas Cabanhas gaúchas, foram as responsáveis pela introdução da Raça Crioula no Estado do Paraná, que seguiu a seguinte rota:
1. Ponta Grossa - Inicialmente, através da Feira do Cavalo nessa cidade, onde foi fundado o Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos Roberto Bastos Tellechea;
2. Guarapuava - Num segundo momento, os principais eventos da raça eram aí realizados e assim, por alguns anos permaneceram;
3. Curitiba - Depois, o foco passou a ser a capital, com as exposições acontecendo no Parque Castelo Branco;
4. Balsa Nova - Nos dias de hoje, somando-se aos outros locais de eventos, é realizada uma Exposição Credenciadora ao Freio de Ouro.
5.Ponta Grossa - Novamente a partir de 2.002, é retomada a praça com realização de provas Credenciadoras ao Freio de Ouro de altíssimo nível.
6. Guarapuava - Atualmente , volta a marcar forte presença no cenário da Raça Crioula.

Também nas exposições de Lages (SC) e Campo Grande (MS), a exemplo dos outros pontos geográficos, estivemos presentes, fazendo com que hoje, o nome Jacarandá participe das linhagens dos cavalos crioulos daqueles Estados.

Atualmente, continuamos a abastecer os referidos criatórios, comercializando através de visitas feitas diretamente à nossa cabanha.

Em São Paulo, o rosilho Ortêga do Jacarandá (Itaí Tupambaé), fazendo dupla com o saudoso bageense radicado em S.Paulo - Jorge Karam - se tornaram uma verdadeira lenda viva. Tal era a integração e afinidade entre ambos e a maneira como participavam dos diversos eventos funcionais da Raça Crioula, como Jogo do Pato, Laço,Equinolatina, Rédeas,...

Karam costumava dizer que montando Ortêga poderia laçar o diabo..., tal era a confiança que depositava em seu parceiro rosilho.

 
Ortêga do Jacarandá  






Fotografia de Ortêga na capa de Hippus, revista especializada de grande tiragem na época.
 
 
 
 

PARTICIPAÇÕES DIVERSAS

1983 - Lagarto do Jacarandá - RP 71
2ndo Prêmio Expointer -Esteio(RS)
  1984 - Helena(43) e Odalisca do Jacarandá (122)
Campeã Égua c/ Cria - Expo Outono Bagé (RS)
  1985 - Ninfa(106), Nuvem(100), Neblina do Jacarandá(108)
Trio Campeão Potrancas;Trio Grande Campeão Expo Outono Bagé (RS)
1986 - Jurema(60) e Jacarandá Quiniela (152)
Campeã Égua c/Cria - Expo Outono Bagé (RS)
  1.988 - Jacarandá Reponte (177)
Campeão Incentivo Expo Jaguarão (RS) Campeão Estímulo Expo Uruguaiana (RS)
  1989 - Naja(104) e Jacarandá Tulipa (219)
Campeã Égua c/ Cria - Expo Outono Bagé (RS)
 

 

MODALIDADE RÉDEAS

Considerando ser a principal característica da Raça Crioula, sua versatilidade , a criação Jacarandá acompanha a busca de novos horizontes. Abaixo, depoimento do criador de Quarto de Milha - Sr. Diogo Gonzaga Jayme - de Araquari (MG) que adquiriu (via Canal Rural) no Leilão Potro de Ouro/2004 o animal Jacarandá Luxor:

"Sr. Antônio Augusto
Estou escrevendo para o senhor, pois no leilão do potro de ouro adquiri um animal de sua propriedade (Jacarandá Luxor). Eu sou o primeiro proprietário de um cavalo crioulo do nordeste de Minas Gerais na cidade de Araçuai. ...... segue anexo as fotos mais recentes do animal Jacarandá Luxor vendido no leilão Potro de Ouro. O animal já está domado, sendo iniciado em rédeas com resultados muito bons, pois já esta esbarrando, galopando e spinando bem. O animal se adaptou muito bem ao clima quente da minha região.
Um abraço
Diogo"

Jacarandá Luxor
RP 368 - Nasc. 05.10.2002
Foto de Diogo Jayme (31.10.04)
       
 
POTRO DO FUTURO DA AGCR - 2.008

Numa prova muito parelha onde houve empate na prova e também na fase do desempate - Jacarandá Negrito, fez a pontuação máxima( 72 pontos). Negrito apresenta além de alta morfologia um excepcional temperamento, o que lhe atibui a versatilidade exigida para participar de qualquer prova na Raça Crioula.

 
Jacarandá Negrito